Dupla é acusada de transfobia por fazer música com travesti

Dupla é acusada de transfobia por fazer música com travesti

Por Daniel Castro - notícias da tv (UOL)

     Depois de Marília Mendonça, foi a vez dos sertanejos Pedro Motta e Henrique serem acusados de transfobia. No último sábado (19), após o lançamento de Lili, atual música de trabalho da dupla, os internautas acharam que a canção é discriminatória, porque narra uma desilusão que um homem teve com uma travesti.

   A letra em questão diz: "Depois de um mês de namoro apaixonado, iludido e bobo dentro de um motel chorando arrasado acabei de descobrir que eu fui enganado/ Agora eu entendo por que ela não queria fazer amor, uma voz feminina, uma pele macia me enganou tão bem/ Depois de uma farra embriagada, ela se entregou, só que ela não tinha o que mulher tem/ Ô, Lili, ô, Lili, por que você mentiu para mim? O, Lili, ô, Lili, o amor da minha é um travesti".

     A ativista travesti Alina Durso ficou indignada ao saber do teor da música e criticou a dupla por meio de seu Twitter. "Uma dupla sertaneja lançou uma música totalmente transfóbica. Me choca saber que permitam uma música como essa em uma das maiores plataformas de música, o Spotify", escreveu.

   Depois da repercussão negativa do caso, os cantores gravaram um vídeo de esclarecimento no Instagram. Eles negaram erroneamente ser homofóbicos, pois o termo correto para este tipo de crime é transfobia.

Assista ao clipe da música abaixo: