Jornalista é acusado de perseguir e assediar colegas por telefone e redes sociais

Jornalista é acusado de perseguir e assediar colegas por telefone e redes sociais
Imagem: Reprodução

O repórter Bernardo Lima, de 30 anos, que se apresenta como dono de uma web rádio que faz coberturas esportivas em Minas Gerais, está sendo acusado de perseguição, assédio e importunação por pelo menos seis jornalistas mulheres.  Elas trabalham em emissoras de TV como Globo, Band e SBT.

 As jornalistas optaram, por enquanto, por não registrar boletim de ocorrência na polícia, mas elas alegam que ele age sempre da mesma maneira. Primeiro ele se apresenta como colega de profissão, admirador do trabalho das jornalistas e insiste na comunicação com frequência, até se tornar incômodo. Quando é ignorado ou bloqueado pelas jornalistas, passa a "persegui-las".

Algumas vítimas preferiram não ter seus nomes revelados, mas relataram muito constrangimento devido as "fake news" criadas pelo rapaz. Chegou a falar que era "amante" de uma das jornalistas, depois que queria matá-la, e por aí vai.

Já a jornalista Lívia Laranjeira, da Globo, publicou no Twitter um comentário feito por Bernardo Lima. Na mensagem ele diz que vai "fotografar sua bunda e postar".

 


 

A jornalista Lívia Laranjeira diz que já denunciou Bernardo, "mas ninguém faz nada, e ele segue se apresentando como jornalista e se credenciando para coberturas esportivas".

Procurado pelo site UOL Esportes por telefone na última terça-feira (9), Bernardo Lima afirmou que não se pronunciaria sobre o teor desta reportagem e desligou o telefone. Procurado pelo WhatsApp, ele também disse que não comentaria o assunto.